5° Sarau Cinematográfico Jamac Cinema Digital

O evento acontece desde 2011 e marca o lançamento de curtas-metragens realizados no ano na região da Cidade Ademar/Pedreira e ABC. O Sarau é composto por filmes produzidos no projeto JAMAC Cinema Digital, por meio da oficina e do IV Prêmio Jardim Miriam Próxima Estação, convidados e demais pessoas, todos precisam ser lançamentos. Além de participação de poetas e músicos da região, este ano terá o tema da Consciência negra.

Clique Aqui para convidar amigos e confirmar presença no Facebook.

5° Sarau Cinematográfico Jamac Cinema Digital

Abertura às 15h40 com distribuição de pipoca
Inicio do Sarau às 16h

Confira os Filmes de 2016

PRETA – Documentário – O filme acompanha a dançarina Fabi em seu trabalho de empoderamento feminino negro por meio da danceHall, dança vinda da Jamaica.

PARANOIA– Ficção – Mãe, paranoica, mantem filho preso por 16 anos dentro de casa, até que por uma fresta na janela ele conhece Sarah e a liberdade se torna mais forte que o medo.
Prêmio Jardim Miriam Próxima Estação

BOA APARÊNCIA – Ficção Um encontro de duas pessoas que se conheceram na escola e tiveram vidas opostas devido ao privilégio de cor.

MAIORIDADE PENAL – Videoclip Trata-se de um clipe onde um jovem negro, da periferia reflete sobre as condições em que vive, com um olhar critico sobre a PEC 171 1993.

AS PREFERDAS DE CLARISSE – Ficição – Clarisse retorna a cidade natal 14 anos. Ao retornar encontra sua filha com os mesmos problema que tinha quando a deixou com a avó fazendo com que ela enfrente o passado e o presente ao mesmo tempo.

Convidados
NUNCA FOI SEMPRE ASSIM
Sinopse: O início dos anos 90 foi marcado com uma grande instabilidade financeira em todo o país, causada pelo presidente, Fernando Collor. Paralelo a isso, está Sofia, portadora de uma doença grave que, junto com sua mãe, luta para realizar seu sonho.
Direção: Pedro Kalli e Ricardo Vasconcelos.

PERSEGUIÇÃO EM 4 RODAS
sinopse: animação realizada com carrinhos e maquetes.
direção: Halbert Pereira

A LENDA DO FOLHA SECA
sinopse: Um passeio turístico marcado pelo horror o pânico e uma terrível vingança macabra
direção: Milton Santos

 

4º SARAU CINEMATOGRÁFICO
20 de novembro de 2016
Das 15h40 às 20h
Informações:
cinemadigitaljamac@gmail.com

Sala de Exibição Circuito SPCine
CEU Caminho do Mar
Av. Engenheiro de Armando
Arruda Pereira, 5241 (Mapa)
Próximo ao metrô Jabaquara
Anúncios

Próximos Workshops

Confira os próximos workshops no Jamac:

DATA TEMA INSCRIÇÃO PALESTRANTE
01 de outubro Construção de personagens femininas no cinema Clique Aqui Tata Amaral
08 de outubro A produção e distribuição
de filmes
Clique Aqui Juliana Vicente
15 de
outubro
Cinema Experimental – Performance Audiovisual Clique Aqui Patrícia Moran

*Sujeito a lotação

Jamac Cinema Digital

Mais informações:
cinemadigitaljamac@gmail.com
facebook.com/JamacCinemaDigital

Sobre as palestrantes:

Tata Amaral é uma das mais talentosas e premiadas realizadoras da cinematografia recente brasileira. Com seus longas metragens, conquistou mais de 60 prêmios em festivais nacionais e internacionais. “Um Céu de Estrelas” foi considerado pela crítica um marco do cinema brasileiro. Foi diretora e roteirista de “Antônia” .

Juliana Vicente é produtora, diretora, e fundadora da Preta Portê Filmes. Estudou Cinema na FAAP e na EICTV em Cuba, e participou das formações internacionais Rotterdam Lab (Holanda, 2012), EAVE Puentes-AustraLAB (Uruguai/Chile, 2012), TornioFilmLab (Rússia/Itália, 2013) e Berlinale Talents (Alemanha, 2015).
Produziu mais de 20 curtas e médias‐metragens que participaram dos maiores festivais nacionais e internacionais acumulando mais de 100 prêmios. Em 2016, Juliana irá lançar o primeiro documentário oficial produzido sobre o mais famoso grupo de RAP do Brasil, Racionais MCs. Também esse ano, foi uma das vencedoras do Rumos Itaú Cultural, com o projeto Diálogos com Ruth de Souza, um longa documental sobre a trajetória e vida da atriz, com previsão de estréia para 2017.

Patrícia Moran é professora e pesquisadora da ECA/USP e diretora do CINUSP Paulo Emílio. Dirigiu diversos curtas narrativos, não-narrativos, documentários e vídeos, e recebeu vários prêmios. Pesquisa projeções audiovisuais ao vivo, em galerias, festas noturnas, espaços públicos e museus. Autora de artigos sobre o tema, organizou o livro Cinema Transversais, ed. Iluminuras

Workshop Gratuito
2º semestre 2016
Das 10h às 14h
Informações:
cinemadigitaljamac@gmail.com

JAMAC – Jardim Miriam Arte Clube
Rua Maria Balades Corrêa, 8 (MAPA)
Travessa da av: Angêlo Cristianini
Proximo a 98º DP
Jardim Luso – São Paulo

Mostra do Filme Livre 2016

SESSÃO LONGA LIVRE

  • 30 de Julho de 2016 (Sábado) às 18h  “A Seita”.
  • 27 de Agosto de 2016 (Sábado) às 19h e “Mataram Meu Irmão”.

Clique Aqui e confirme presença no evento no Facebook (*não obrigatório)

 

Sinopse:

A Seita
“ Ambientando em um futuro com estética retrô, o filme se constrói sobre um movimento de resistência aos imperativos de uma sociedade que aboliu o sono da humanidade. Seu protagonista, imerso em lânguida melancolia, reflete uma elite consumista, entediada e esvaziada de interesses políticos. Com sua elegância afetada, ele perambula pela cidade resgatando memórias e se divertindo com vários homens, até se encontrar obcecado pelo grupo que tem o sonho de Recife nas mãos: uma misteriosa (e maravilhosa) seita que deseja restabelecer a importância que o sonho sempre teve na realidade humana. É através do sonho que descobrimos nossos papéis como criadores de realidades, o que o preenche com um teor político revolucionário. André Antônio cria uma bela atmosfera onírica para tecer sua trama, filmando Recife como se fosse um sonho, com sua câmera a flanar pelos espaços, indiferente aos atores, além de uma direção de arte nostálgica, retrô. Um filme jovem, político e inquietante, representando o prolífero cinema recifense e seus laços com a produção queer. Diego Franco ”

A Seita - Mostra de Filmes Livre 2016 - Mascate Cineclube

Direção: André Antônio
Duração: 71min


Mataram Meu Irmão
Reconstituindo os detalhes da morte de seu irmão, Rafael Burlan da Silva, ocorrida há 12 anos, o cineasta Cristiano Burlan lança-se a uma jornada pessoal que conduz ao coração de um círculo de violência em torno dos bairros da periferia paulistana – como o Capão Redondo, onde morava a família e o irmão, de 22 anos, foi morto com sete tiros, em 2001. Explorando as razões do envolvimento do irmão com drogas e roubo de carros, o diretor expõe partes de sua própria história familiar, ouvindo parentes e amigos, cujos depoimentos trazem à tona os destinos de diversos personagens, mapeando o histórico de dolorosas feridas emocionais.

Mataram Meu Irmão - - Mostra de Filmes Livre 2016 - Mascate Cineclube

Direção: Cristiano Burlan
Duração: 77min

Mostra de Filme Livre 2016
30 de Julho de 2016 às 18h
27 de Agosto de 2016 às 19h
Informações:
mflcineclubes@gmail.com

JAMAC – Jardim Miriam Arte Clube
Rua Maria Balades Corrêa, 8 (MAPA)
Travessa da av: Angêlo Cristianini
Proximo a 98º DP
Jardim Luso – São Paulo

Curta-Metragem “Carona” selecionado em festival

O projeto JAMAC Cinema Digital parabeniza a equipe do curta-metragemCarona“.
Realizado por meio do 3º Premio Jardim Miriam Próxima Estação, o curta foi selecionado no Madalena Festival de Cinema que acontecerá nos dias 4 e 5 de junho no Centro Cultural Rio Verde.

Madalena Festival de Cinema

Cartaz do Madalena Festival de Cinema


Sobre o Prêmio Jardim Miriam Próxima Estação

Em julho de 2016 abre as inscrições para o 4º Prêmio Jardim Miriam Próxima Estação, fiquem ligados em nossas redes sociais.

O prêmio tem por objetivo co-produzir até três obras audiovisuais. Pode ser um videoclip, documentário, videoarte, ficção, experimental, piloto de série, websérie, animação e etc. Pode se inscrever pessoa física que seja, morador ou tenha atuação cultural na região da Cidade Ademar/Pedreira, Diadema ou que frequente as ações culturais do JAMAC.

Cada projeto aprovado receberá uma quantia para produção da obra, mais empréstimo dos equipamentos de audiovisual e orientação de profissionais da área, caso necessário.

*Sobre o Madalena Festival de Cinema

O Madalena Festival de Cinema é um evento multicultural com mostra de filmes, música, shows, workshops, debate e troca de experiências.

Madalena Festival de Cinema
04 e 05 de Junho de 2016
Informações: (11) 3459-5321

Centro Cultural Rio Verde
Rua Belmiro Braga, 119
São Paulo – SP

*O Jamac Cinema Digital não esta envolvido na organização do Festival de Cinema, estamos apenas divulgando o evento.

5º SARAU CINEMATOGRÁFICO

05 de dezembro (sábado) às 19h
CEU Caminho do Mar
Av. Engenheiro Armando de Arruda Pereira, 5241 (MezaSarau Cinematograficonino do Teatro)

PROGRAMAÇÃO

Produções das Oficinas Básicas:
Filmes “Na Praça” e “Não tão sozinha”, com participação especial de Lilia Reis.

Além dos filme:
“Dor” de Rodrigo Rodrigues “Desejo de Sambista: A Obra de Amauri Rodrigues” de Marcelo H.O. Lucio “Carona” de Tiago Neves.

Convidados:
Música e Poesia comJuscelino Filho Ninguém Precisa Ser Herói Microfone e tela aberta.

Coffee Break com a cooperativa de Mulheres Nesdel da Serra do Mar – Cubatão.

Parceria e pipoca com o coletivo Mascate Cineclube

Clique Aqui para confirmar presença no Facebook e convidar os amigos (não é obrigatório)

 

CEU Caminho do Mar
05 de dezembro às 19h
Informações:
Telefone: (11) 3439-9074

Av. Engenheiro Armando
de Arruda Pereira, 5241
(Mezanino do Teatro)
Proximo ao Jabaquara

Exibição Gratuita de Filme

A NAÇÃO QUE NÃO ESPEROU POR DEUS.
O longa foi filmado no Mato Grosso do Sul, na reserva dos índios kadiwéus, onde os cineastas Lucia Murat e Rodrigo Hinrichsen mostram o impacto da chegada da eletricidade na região em paralelo aos impasses decorrentes de conflitos com pecuaristas pela posse da terra.

MASCATE CINECLUBE - JAMAC - A NAÇÃO QUE NÃO ESPEROU POR DEUS

Sinopse:
Quinze anos depois de realizar “Brava Gente Brasileira”, Lucia Murat volta ao Mato Grosso do Sul para registrar o impacto provocado na reserva kadiwéu pela chegada da eletricidade e com ela a televisão. Mas ao chegar encontra a comunidade na luta pela retomada de suas terras, invadidas por pecuaristas, Os desafios dessa nova identidade indígena, dividida entre a reserva e a cidade, para onde se deslocaram parte dos kadiwéus, surge em toda a sua complexidade, influenciada ainda pela instalação de cinco igrejas evangélicas na reserva.

Trailer:

Ficha técnica:
A NAÇÃO QUE NÃO ESPEROU POR DEUS
 2015 | Brasil | Documentário | 89 min.
Dir.: Lucia Murat e Rodrigo Hinrichsen
Com a participação de: Ademir Matchua, Adeilson Silva, Alvanir Matchua, Aracy Matchua, Daniel Matchua, Edna Marcelino, Lair Silva, Hilario Silva, José Marcelino, Reinaldo Marcelino, Sandra Silva, Vanessa Marcelino e a comunidade Kadiwé

Mascate 3D

“A Nação Que Não Esperou por Deus”

Documentário | 89 min. Dir.: Lucia Murat e Rodrigo H Inrichse
seguido de bate papo com Wiryçar, da etnia Kariri-Xocó.

Clique Aqui  para confirmar presença no Facebook (não é obrigatório se inscrever)

Mascate Outubro

Wiryçar é natural da cidade Porto Real do Colégio – Alagoas. Mora em SP. Faz trabalho como educador, nas escolas, divulgando a historia e cultura indígena. Trabalha no SESAI: Secretaria Especial de Saúde Indígena.

JAMAC – Jardim Miriam Arte Clube
Dia 17 de Outubro às 19h30
Informações:
Telefone: (11) 3439-9074

Rua Maria Balades Corrêa, 8 (MAPA)
Travessa da av: Angêlo Cristianini
Proximo a 98º DP
Jardim Luso – São Paulo

Ver o post original

Exibição gratuita do “Cidade de Deus – 10 anos depois” e bate papo com o diretor

Dia 29/08 será realizado no Jamac um workshop sobre criar, produzir e distribuir filmes de baixo orçamento com inscrições encerradas e em seguida no Ceu Caminho do Mar vai rolar um debate sobre produção cultural independente na periferia e partir das 18h exibição do longa “Cidade de Deus – 10 anos depois” e bate papo com o diretor Cavi Borges

Local: CEU Caminho do Mar
Av. Engenheiro Armando de Arruda Pereira, 5241
Prox. ao Metrô Jabaquara

Clique Aqui e confirme sua presença no evento do Facebook

REGISTROS: Debate sobre produção cultural