5° Sarau Cinematográfico Jamac Cinema Digital

O evento acontece desde 2011 e marca o lançamento de curtas-metragens realizados no ano na região da Cidade Ademar/Pedreira e ABC. O Sarau é composto por filmes produzidos no projeto JAMAC Cinema Digital, por meio da oficina e do IV Prêmio Jardim Miriam Próxima Estação, convidados e demais pessoas, todos precisam ser lançamentos. Além de participação de poetas e músicos da região, este ano terá o tema da Consciência negra.

Clique Aqui para convidar amigos e confirmar presença no Facebook.

5° Sarau Cinematográfico Jamac Cinema Digital

Abertura às 15h40 com distribuição de pipoca
Inicio do Sarau às 16h

Confira os Filmes de 2016

PRETA – Documentário – O filme acompanha a dançarina Fabi em seu trabalho de empoderamento feminino negro por meio da danceHall, dança vinda da Jamaica.

PARANOIA– Ficção – Mãe, paranoica, mantem filho preso por 16 anos dentro de casa, até que por uma fresta na janela ele conhece Sarah e a liberdade se torna mais forte que o medo.
Prêmio Jardim Miriam Próxima Estação

BOA APARÊNCIA – Ficção Um encontro de duas pessoas que se conheceram na escola e tiveram vidas opostas devido ao privilégio de cor.

MAIORIDADE PENAL – Videoclip Trata-se de um clipe onde um jovem negro, da periferia reflete sobre as condições em que vive, com um olhar critico sobre a PEC 171 1993.

AS PREFERDAS DE CLARISSE – Ficição – Clarisse retorna a cidade natal 14 anos. Ao retornar encontra sua filha com os mesmos problema que tinha quando a deixou com a avó fazendo com que ela enfrente o passado e o presente ao mesmo tempo.

Convidados
NUNCA FOI SEMPRE ASSIM
Sinopse: O início dos anos 90 foi marcado com uma grande instabilidade financeira em todo o país, causada pelo presidente, Fernando Collor. Paralelo a isso, está Sofia, portadora de uma doença grave que, junto com sua mãe, luta para realizar seu sonho.
Direção: Pedro Kalli e Ricardo Vasconcelos.

PERSEGUIÇÃO EM 4 RODAS
sinopse: animação realizada com carrinhos e maquetes.
direção: Halbert Pereira

A LENDA DO FOLHA SECA
sinopse: Um passeio turístico marcado pelo horror o pânico e uma terrível vingança macabra
direção: Milton Santos

 

4º SARAU CINEMATOGRÁFICO
20 de novembro de 2016
Das 15h40 às 20h
Informações:
cinemadigitaljamac@gmail.com

Sala de Exibição Circuito SPCine
CEU Caminho do Mar
Av. Engenheiro de Armando
Arruda Pereira, 5241 (Mapa)
Próximo ao metrô Jabaquara

Próximos Workshops

Confira os próximos workshops no Jamac:

DATA TEMA INSCRIÇÃO PALESTRANTE
01 de outubro Construção de personagens femininas no cinema Clique Aqui Tata Amaral
08 de outubro A produção e distribuição
de filmes
Clique Aqui Juliana Vicente
15 de
outubro
Cinema Experimental – Performance Audiovisual Clique Aqui Patrícia Moran

*Sujeito a lotação

Jamac Cinema Digital

Mais informações:
cinemadigitaljamac@gmail.com
facebook.com/JamacCinemaDigital

Sobre as palestrantes:

Tata Amaral é uma das mais talentosas e premiadas realizadoras da cinematografia recente brasileira. Com seus longas metragens, conquistou mais de 60 prêmios em festivais nacionais e internacionais. “Um Céu de Estrelas” foi considerado pela crítica um marco do cinema brasileiro. Foi diretora e roteirista de “Antônia” .

Juliana Vicente é produtora, diretora, e fundadora da Preta Portê Filmes. Estudou Cinema na FAAP e na EICTV em Cuba, e participou das formações internacionais Rotterdam Lab (Holanda, 2012), EAVE Puentes-AustraLAB (Uruguai/Chile, 2012), TornioFilmLab (Rússia/Itália, 2013) e Berlinale Talents (Alemanha, 2015).
Produziu mais de 20 curtas e médias‐metragens que participaram dos maiores festivais nacionais e internacionais acumulando mais de 100 prêmios. Em 2016, Juliana irá lançar o primeiro documentário oficial produzido sobre o mais famoso grupo de RAP do Brasil, Racionais MCs. Também esse ano, foi uma das vencedoras do Rumos Itaú Cultural, com o projeto Diálogos com Ruth de Souza, um longa documental sobre a trajetória e vida da atriz, com previsão de estréia para 2017.

Patrícia Moran é professora e pesquisadora da ECA/USP e diretora do CINUSP Paulo Emílio. Dirigiu diversos curtas narrativos, não-narrativos, documentários e vídeos, e recebeu vários prêmios. Pesquisa projeções audiovisuais ao vivo, em galerias, festas noturnas, espaços públicos e museus. Autora de artigos sobre o tema, organizou o livro Cinema Transversais, ed. Iluminuras

Workshop Gratuito
2º semestre 2016
Das 10h às 14h
Informações:
cinemadigitaljamac@gmail.com

JAMAC – Jardim Miriam Arte Clube
Rua Maria Balades Corrêa, 8 (MAPA)
Travessa da av: Angêlo Cristianini
Proximo a 98º DP
Jardim Luso – São Paulo

Mostra do Filme Livre 2016

SESSÃO LONGA LIVRE

  • 30 de Julho de 2016 (Sábado) às 18h  “A Seita”.
  • 27 de Agosto de 2016 (Sábado) às 19h e “Mataram Meu Irmão”.

Clique Aqui e confirme presença no evento no Facebook (*não obrigatório)

 

Sinopse:

A Seita
“ Ambientando em um futuro com estética retrô, o filme se constrói sobre um movimento de resistência aos imperativos de uma sociedade que aboliu o sono da humanidade. Seu protagonista, imerso em lânguida melancolia, reflete uma elite consumista, entediada e esvaziada de interesses políticos. Com sua elegância afetada, ele perambula pela cidade resgatando memórias e se divertindo com vários homens, até se encontrar obcecado pelo grupo que tem o sonho de Recife nas mãos: uma misteriosa (e maravilhosa) seita que deseja restabelecer a importância que o sonho sempre teve na realidade humana. É através do sonho que descobrimos nossos papéis como criadores de realidades, o que o preenche com um teor político revolucionário. André Antônio cria uma bela atmosfera onírica para tecer sua trama, filmando Recife como se fosse um sonho, com sua câmera a flanar pelos espaços, indiferente aos atores, além de uma direção de arte nostálgica, retrô. Um filme jovem, político e inquietante, representando o prolífero cinema recifense e seus laços com a produção queer. Diego Franco ”

A Seita - Mostra de Filmes Livre 2016 - Mascate Cineclube

Direção: André Antônio
Duração: 71min


Mataram Meu Irmão
Reconstituindo os detalhes da morte de seu irmão, Rafael Burlan da Silva, ocorrida há 12 anos, o cineasta Cristiano Burlan lança-se a uma jornada pessoal que conduz ao coração de um círculo de violência em torno dos bairros da periferia paulistana – como o Capão Redondo, onde morava a família e o irmão, de 22 anos, foi morto com sete tiros, em 2001. Explorando as razões do envolvimento do irmão com drogas e roubo de carros, o diretor expõe partes de sua própria história familiar, ouvindo parentes e amigos, cujos depoimentos trazem à tona os destinos de diversos personagens, mapeando o histórico de dolorosas feridas emocionais.

Mataram Meu Irmão - - Mostra de Filmes Livre 2016 - Mascate Cineclube

Direção: Cristiano Burlan
Duração: 77min

Mostra de Filme Livre 2016
30 de Julho de 2016 às 18h
27 de Agosto de 2016 às 19h
Informações:
mflcineclubes@gmail.com

JAMAC – Jardim Miriam Arte Clube
Rua Maria Balades Corrêa, 8 (MAPA)
Travessa da av: Angêlo Cristianini
Proximo a 98º DP
Jardim Luso – São Paulo

Curta-Metragem “Carona” selecionado em festival

O projeto JAMAC Cinema Digital parabeniza a equipe do curta-metragemCarona“.
Realizado por meio do 3º Premio Jardim Miriam Próxima Estação, o curta foi selecionado no Madalena Festival de Cinema que acontecerá nos dias 4 e 5 de junho no Centro Cultural Rio Verde.

Madalena Festival de Cinema

Cartaz do Madalena Festival de Cinema


Sobre o Prêmio Jardim Miriam Próxima Estação

Em julho de 2016 abre as inscrições para o 4º Prêmio Jardim Miriam Próxima Estação, fiquem ligados em nossas redes sociais.

O prêmio tem por objetivo co-produzir até três obras audiovisuais. Pode ser um videoclip, documentário, videoarte, ficção, experimental, piloto de série, websérie, animação e etc. Pode se inscrever pessoa física que seja, morador ou tenha atuação cultural na região da Cidade Ademar/Pedreira, Diadema ou que frequente as ações culturais do JAMAC.

Cada projeto aprovado receberá uma quantia para produção da obra, mais empréstimo dos equipamentos de audiovisual e orientação de profissionais da área, caso necessário.

*Sobre o Madalena Festival de Cinema

O Madalena Festival de Cinema é um evento multicultural com mostra de filmes, música, shows, workshops, debate e troca de experiências.

Madalena Festival de Cinema
04 e 05 de Junho de 2016
Informações: (11) 3459-5321

Centro Cultural Rio Verde
Rua Belmiro Braga, 119
São Paulo – SP

*O Jamac Cinema Digital não esta envolvido na organização do Festival de Cinema, estamos apenas divulgando o evento.

5º SARAU CINEMATOGRÁFICO

05 de dezembro (sábado) às 19h
CEU Caminho do Mar
Av. Engenheiro Armando de Arruda Pereira, 5241 (MezaSarau Cinematograficonino do Teatro)

PROGRAMAÇÃO

Produções das Oficinas Básicas:
Filmes “Na Praça” e “Não tão sozinha”, com participação especial de Lilia Reis.

Além dos filme:
“Dor” de Rodrigo Rodrigues “Desejo de Sambista: A Obra de Amauri Rodrigues” de Marcelo H.O. Lucio “Carona” de Tiago Neves.

Convidados:
Música e Poesia comJuscelino Filho Ninguém Precisa Ser Herói Microfone e tela aberta.

Coffee Break com a cooperativa de Mulheres Nesdel da Serra do Mar – Cubatão.

Parceria e pipoca com o coletivo Mascate Cineclube

Clique Aqui para confirmar presença no Facebook e convidar os amigos (não é obrigatório)

 

CEU Caminho do Mar
05 de dezembro às 19h
Informações:
Telefone: (11) 3439-9074

Av. Engenheiro Armando
de Arruda Pereira, 5241
(Mezanino do Teatro)
Proximo ao Jabaquara

Exibição Gratuita de Filme

A NAÇÃO QUE NÃO ESPEROU POR DEUS.
O longa foi filmado no Mato Grosso do Sul, na reserva dos índios kadiwéus, onde os cineastas Lucia Murat e Rodrigo Hinrichsen mostram o impacto da chegada da eletricidade na região em paralelo aos impasses decorrentes de conflitos com pecuaristas pela posse da terra.

MASCATE CINECLUBE - JAMAC - A NAÇÃO QUE NÃO ESPEROU POR DEUS

Sinopse:
Quinze anos depois de realizar “Brava Gente Brasileira”, Lucia Murat volta ao Mato Grosso do Sul para registrar o impacto provocado na reserva kadiwéu pela chegada da eletricidade e com ela a televisão. Mas ao chegar encontra a comunidade na luta pela retomada de suas terras, invadidas por pecuaristas, Os desafios dessa nova identidade indígena, dividida entre a reserva e a cidade, para onde se deslocaram parte dos kadiwéus, surge em toda a sua complexidade, influenciada ainda pela instalação de cinco igrejas evangélicas na reserva.

Trailer:

Ficha técnica:
A NAÇÃO QUE NÃO ESPEROU POR DEUS
 2015 | Brasil | Documentário | 89 min.
Dir.: Lucia Murat e Rodrigo Hinrichsen
Com a participação de: Ademir Matchua, Adeilson Silva, Alvanir Matchua, Aracy Matchua, Daniel Matchua, Edna Marcelino, Lair Silva, Hilario Silva, José Marcelino, Reinaldo Marcelino, Sandra Silva, Vanessa Marcelino e a comunidade Kadiwé

Mascate 3D

“A Nação Que Não Esperou por Deus”

Documentário | 89 min. Dir.: Lucia Murat e Rodrigo H Inrichse
seguido de bate papo com Wiryçar, da etnia Kariri-Xocó.

Clique Aqui  para confirmar presença no Facebook (não é obrigatório se inscrever)

Mascate Outubro

Wiryçar é natural da cidade Porto Real do Colégio – Alagoas. Mora em SP. Faz trabalho como educador, nas escolas, divulgando a historia e cultura indígena. Trabalha no SESAI: Secretaria Especial de Saúde Indígena.

JAMAC – Jardim Miriam Arte Clube
Dia 17 de Outubro às 19h30
Informações:
Telefone: (11) 3439-9074

Rua Maria Balades Corrêa, 8 (MAPA)
Travessa da av: Angêlo Cristianini
Proximo a 98º DP
Jardim Luso – São Paulo

Ver o post original

Exibição gratuita do “Cidade de Deus – 10 anos depois” e bate papo com o diretor

Dia 29/08 será realizado no Jamac um workshop sobre criar, produzir e distribuir filmes de baixo orçamento com inscrições encerradas e em seguida no Ceu Caminho do Mar vai rolar um debate sobre produção cultural independente na periferia e partir das 18h exibição do longa “Cidade de Deus – 10 anos depois” e bate papo com o diretor Cavi Borges

Local: CEU Caminho do Mar
Av. Engenheiro Armando de Arruda Pereira, 5241
Prox. ao Metrô Jabaquara

Clique Aqui e confirme sua presença no evento do Facebook

REGISTROS: Debate sobre produção cultural